quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Tua escuridão



Meu coração ainda goteja
As feridas não estão saradas
Onde quer que você esteja
Ouça as minhas palavras…

Mas que sensação molesta
Que me causa desconcerto?
Que distância é esta,
Aqui tão perto?

Da escuridão regressei
Só para te levantar
E o deserto atravessei
Para ao teu lado estar.

Quero agarrar a tua mão
E elogiar-te com subtileza
A tua tremenda beleza
Que aquece meu coração.

E, erradicar esse flagelo
Que te provoca sofrimento,
Acordar-te desse pesadelo
Dessa vida em tormento.

Com o céu azul ou enevoado
Isso não tem importância
Pois estarei ao teu lado
Qual for a distância,

Não sei se me iras ouvir
Mas, sim minha querida!
Eu daria a minha vida
Só para te ver sorrir…



José Coimbra

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Tua sina



Eu sei que andas perdida
Nessa estrada proibida
Sem saber qual é a razão
Para tamanha desilusão.
Eu sei que a cruel vida
É tão injusta e fodida
Cheia de problemas sem solução
Como a sina na tua mão.
Às vezes, a única saída
É voltar ao ponto de partida
E apagar tudo no coração
Sem implorar por perdão…




José Coimbra