terça-feira, 26 de novembro de 2019

Fio de prata




Olho no espelho
E lá está ela…
Ignoro seu conselho
E admiro a beleza dela.

É uma alucinação
Mas quero toca-la!
É a minha perdição
Por tanto ama-la.

Na tristeza abstracta
De estar do lado de cá
Aperto seu fio de prata
Que na minha mão está.

É a única recordação
Que teimo em não largar
Pois dá-me uma razão
Para viver, continuar…



José Coimbra


quinta-feira, 10 de outubro de 2019

Fica aqui




De ti eu gosto
E até aposto
Que gostas de mim.
Eu gosto de ti
Mas se não estás aqui
É o meu fim.
Cruel é a saudade
Por isso faz-me a vontade
E não saias daqui.
Fica por favor
Pois descobri o amor
No dia que te vi…



José Coimbra

domingo, 28 de abril de 2019

Desmedida paixão




É um sorriso inseguro,
Um olhar envergonhado
E um sentimento puro
De um coração apaixonado.

É um amor inocente,
Uma energia positiva
De um afecto flamejante
Que mantém a alma viva.

É uma aposta, um dilema,
É uma inquieta confissão
Escrita num simples poema
De uma desmedida paixão…



José Coimbra

quarta-feira, 20 de março de 2019

Poema imperfeito




Este amor
Do interior
Do meu peito
É imperfeito
Mas é o meu jeito
De te amar
E de estar
Aqui
Junto a ti.
Mas neste dia
É de alegria
E eu escrevi
Esta merecida
Poesia
Só para ti
Minha querida!...



José Coimbra

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Afago do vento




Na mão uma inocente flor
Perfumada pelas linhas do destino
Silencioso sob o ténue resplendor
Da lua que ilumina o caminho.

As estrelas e os argumentos singelos
Da noite salpicam o firmamento
Negro como os teus longos cabelos
Soltos ao sabor do vento…

O vento é apenas um mensageiro
Que acaricia o teu rosto perfeito
Com um toque quente e ligeiro…
Mas será que faz palpitar o teu peito?



José Coimbra

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Querer...




Quero sorrir, contigo ao meu lado
Em busca da felicidade prometida.
Quero amar-te e ser amado
O que resta da nossa vida.

Quero abraçar-te num abraço acolhedor
Para poder sair desta melancolia.
Quero o teu beijo tão cheio de amor
Mais apaixonante que a própria poesia.

Mas o querer é apenas um desejo inocente
Que guardo dentro do meu peito
E é uma realidade tão distante
Incapaz para este coração imperfeito…



José Coimbra

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Estranha maldição




És a maligna feiticeira
Das palavras mágicas
Que em tom de brincadeira
Contas histórias trágicas.

Tenho os olhos hipnotizados
Pelo sorriso sensual
Dos teus lábios adocicados
Repletos de veneno mortal.

Te apoderastes facilmente
Do meu ignorante coração
E da minha insana mente
Com uma estranha maldição…



José Coimbra