segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Teus Lábios



Com um simples sorriso
Decoro minhas fantasias
É como um simples feitiço
Que afasta todas as ideologias
No meu malogrado paraíso

Teus lábios vermelhos
Trazem nostalgia,
São como simples espelhos
Que reflectem alegria
E apagam meus medos

Tua maneira de sorrir
Enche minha alma
Faz o inferno cair
E traz-me a calma
Para poder prosseguir




José Coimbra

domingo, 27 de outubro de 2013

O vazio dos teus olhos



O vazio dos teus olhos
São um sinal de perigo
Que ataca os meus sonhos
E desdiz o que eu digo.

O vazio do teu rosto
É o sinal de ira
Que destrói tudo que gosto
E torna a vida numa mentira.

O vazio dos teus gestos
São um sinal de provocação
E os teus dizeres desonestos
Ferem meu coração…




José Coimbra

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Arrogância



Quando a realidade é fantasia
No teu conto de fadas desatinado
E a interpretação do teu dia-a-dia
É um coro peculiar desafinado.

Um gesto teatral
Um nariz empinado
Uma voz angelical
Um passo adornado

Quando a realidade do dia-a-dia
É a fantasia da tua elegância
E da moral baseada da arrogância.




José Coimbra

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Minha poesia enferma



Gritos de pura blasfema
Da minha poesia enferma
Que me consome os ossos
De tantos obstáculos colossos.
Em tantas noites sombrias,
Gastei enormes energias
A tentar, aprender de grandes poetas
Para alcançar as minhas pequenas metas.
Mas…
Falta-me a força, falta-me a vontade,
Falta-me a formação e a criatividade.




José Coimbra