domingo, 17 de setembro de 2017

Razão proibida (V.1)



Como um anjo disfarçado
Seduzes-me para as profundezas
Desse teu abismo desolado
De escuridão e incertezas.

Preso no ponto de viragem
Da luz da tua graça
Que faz-me obedecer a tua imagem
De pecadora em desgraça.

E, a alma em decadência
Dá a luz este desgosto
Que resiste a evidência
Da beleza do teu rosto…




José Coimbra

1 comentário:

  1. Somos a beleza da alma na pecadora desgraça.
    um abraço poeta José

    ResponderEliminar