sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Chama da paixão



És a melodia fatal
Do meu instinto animal
És a palavra proibida
Da minha inocência perdida
És o veneno mortal
Do meu poema irracional
És a fera destemida
Da minha alma adormecida.

És o mistério indecifrável
Da minha paixão incontrolável
És o feitiço sagrado
Da incerteza do meu fado
És a beleza incensurável
Do meu mundo descartável
És a chama do pecado
Do meu coração apaixonado…



José Coimbra

Sem comentários:

Enviar um comentário