domingo, 21 de setembro de 2014

Silêncio, escuridão e frio




Quando o silêncio surgir
Ficará a angústia sem dó
Que a noite faz repetir
Contra o este coração só.

Quando a escuridão emergir
Das profundezas do meu ser
A morte irá apenas sorrir
Porque será hora de aparecer.

Quando o frio invadir
O meu corpo sem piedade
Ignorarei o que irei sentir
Quando rever a realidade…



José Coimbra

Sem comentários:

Enviar um comentário