quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Teu nome




Não consigo dizer o teu nome
Dentro do meu mundo submerso
De dor que a alma consome
Com esse amor adverso

Enquanto escrevo este verso
Tenho o teu nome na cabeça
É como se todo o universo
Agisse p´ra que isso aconteça

Tudo o que quero e preciso
Para sair desta solidão enorme
É do teu sereno sorriso
Para poder dizer o teu nome.




José Coimbra

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Se minha atriz



É noite de lua cheia
Que entre a plateia
Que já não há obstáculo.
E a sala já está cheia
Que comece o espetáculo!

Em cena o odio e o amor
Em que sou o principal ator
Na peça de uma vida
Em que sou o escritor.
Se a principal atriz, querida!

Transforma o inferno em paraíso
Com o teu astuto sorriso
Mata o meu pobre coração
Neste pequeno improviso
De rejeição e sedução

Faz-me perder a cabeça
Nesta pequena peça
Sem tristeza e sem alegria
Antes que a alma desvaneça
Com o nascer de mais um dia…




José Coimbra